Quantificação de colágeno tipos I e III em lesões de pele de pacientes portadores de hanseníase

  • Igor Costa de Lima Universidade do Estado do Pará, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Morfologia e Ciências Fisiológicas, Belém, Pará, Brasil http://orcid.org/0000-0002-3773-7319
  • Shaumin Vasconcelos Wu Universidade Federal do Pará, Belém, Pará, Brasil http://orcid.org/0000-0002-1954-6068
  • Luciana Mota Silva Centro Universitário do Pará, Belém, Pará, Brasil http://orcid.org/0000-0002-4417-7401
  • Jofre Jacob da Silva Freitas Universidade do Estado do Pará, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Morfologia e Ciências Fisiológicas, Laboratório de Morfofisiologia Aplicada à Saúde, Belém, Pará, Brasil http://orcid.org/0000-0002-0568-7177
  • Francisca Regina Oliveira Carneiro Universidade do Estado do Pará, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Ambulatório de Dermatologia, Belém, Pará, Brasil http://orcid.org/0000-0001-6735-4004
  • Fabíola Raquel Tenório Oliveira Universidade do Estado do Pará, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Morfologia e Ciências Fisiológicas, Laboratório de Morfofisiologia Aplicada à Saúde, Belém, Pará, Brasil http://orcid.org/0000-0001-7017-5517
Palavras-chave: Hanseníase, Colágeno Tipo I, Colágeno Tipo III

Resumo

OBJETIVO:

Quantificar as fibras de colágeno tipos I e III nas formas clínicas polares e inicial da hanseníase.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Foram analisadas 39 amostras de pele conservadas em blocos de parafina, distribuídas nos grupos: indeterminado - MHI (9), tuberculoide - MHT (16) e virchowiano - MHV (14) e submetidas à microtomia e coloração de Picrosirius Red. As imagens foram analisadas pelo programa Image J e, para a análise estatística, usou-se o teste ANOVA (p < 0,05).

RESULTADOS:

O colágeno tipo I ocupou, em MHI, MHT e MHV, respectivamente, 69% (DP ± 14,94), 54% (DP ± 18,66) e 44% (DP ± 18,06) da área da derme, com diferença estatística significante entre MHI e MHV (p < 0,01). O colágeno tipo III ocupou, em MHI, MHT e MHV, respectivamente, 1,6% (DP ± 1,524), 2,6% (DP ± 1,787) e 4,5% (DP ± 2,325), com diferenças estatísticas significantes entre MHI e MHV (p < 0,01) e entre MHV e MHT (p < 0,05). Quanto à correlação de colágeno tipos I e III, obteve-se na forma MHI uma correlação negativa, forte e com significância estatística (r = -0,7000; p = 0,0433); para MHT, obteve-se uma correlação negativa, moderada e com significância estatística (r = -0,5029; p = 0,0471); enquanto para MHV não houve significância estatística (p = 0,7253; r = -0,1033).

CONCLUSÃO:

O tipo de hanseníase e seus aspectos imunopatológicos associados são determinantes nos níveis de colágeno identificados, observando-se gradualmente perda do colágeno tipo I e aumento do colágeno tipo III em MHI, MHV e MHT.

Publicado
2020-03-10
Seção
Artigo Original