Surto de toxoplasmose aguda no Município de Ponta de Pedras, Arquipélago do Marajó, Estado do Pará, Brasil: características clínicas, laboratoriais e epidemiológicas

  • Rafaela dos Anjos Pinheiro Bogoevich Morais Instituto Evandro Chagas/SVS/MS, Ananindeua, Pará, Brasil
  • Amaury Bentes Cunha Freire Instituto Evandro Chagas/SVS/MS, Ananindeua, Pará, Brasil
  • Danielle Regina Lima Barbosa Instituto Evandro Chagas/SVS/MS, Ananindeua, Pará, Brasil
  • Larissa de Cássia Tork da Silva Instituto Evandro Chagas/SVS/MS, Ananindeua, Pará, Brasil
  • Alcione Ferreira Pinheiro Instituto Evandro Chagas/SVS/MS, Ananindeua, Pará, Brasil
  • Simone Silveira da Costa Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará, Belém, Pará, Brasil
  • Francisco Lúzio de Paula Ramos Instituto Evandro Chagas/SVS/MS, Ananindeua, Pará, Brasil
  • Cléa Nazaré Carneiro Bichara Universidade do Estado do Pará, Belém, Pará, Brasil
  • Lauro José Barata Lima Universidade Federal do Pará, Belém, Pará, Brasil
  • Aristeu Vieira da Silva Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, Bahia, Brasil
  • Sheila Rejane Pereira de Souza Secretaria Municipal de Saúde, Ponta de Pedras, Pará, Brasil
  • Leotte Pimentel Piqueira Neto Secretaria Municipal de Saúde, Ponta de Pedras, Pará, Brasil
  • Nelson Veiga Gonçalves Universidade do Estado do Pará, Belém, Pará, Brasil
  • Marinete Marins Póvoa Instituto Evandro Chagas/SVS/MS, Ananindeua, Pará, Brasil
  • Ediclei Lima do Carmo Instituto Evandro Chagas/SVS/MS, Ananindeua, Pará, Brasil
Palavras-chave: Surtos de Doença, Toxoplasma, Toxoplasmose, Vigilância Epidemiológica

Resumo

Introdução:

Em maio de 2013, o Instituto Evandro Chagas confirmou o diagnóstico de toxoplasmose aguda em cinco indivíduos que apresentaram quadro febril linfadenopático, todos procedentes do Município de Ponta de Pedras, Estado do Pará, onde havia também outros casos similares, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. Diante disso, suspeitou-se da ocorrência de um surto de toxoplasmose e, assim, uma investigação foi conduzida para identificar e caracterizar o referido evento.

Objetivo:

Descrever as características clínicas, laboratoriais e epidemiológicas de um surto de toxoplasmose aguda ocorrido no Município de Ponta de Pedras.

Materiais e Métodos:

Um total de 270 indivíduos, sintomáticos ou não, foram submetidos às análises clínica e sorológica pelo ensaio imunoenzimático para detectar IgG e IgM anti-Toxoplasma gondii. Para confirmação dos casos com perfil sugestivo de infecção aguda (IgG+/IgM+), foi determinado o índice de avidez de IgG pelo ensaio imunofluorimétrico. Por meio de questionário padronizado individual, foram obtidas informações sociodemográficas, comportamentais e sobre hábitos alimentares. Foi realizado mapeamento geográfico dos casos identificados, os quais foram analisados conjuntamente com alguns parâmetros epidemiológicos por métodos de geoestatística.

Resultados:

Durante a investigação, foram confirmados 73 casos com perfil clínico e laboratorial compatível com toxoplasmose aguda. Foi observada correlação espacial dos casos apenas com o consumo de suco de açaí, comercializado em três principais pontos de venda do produto, durante o surto.

Conclusão:

Os dados clínicos, laboratoriais e epidemiológicos demonstraram que o surto de doença aguda verificada em Ponta de Pedras foi causado pelo T. gondii. As evidências sugerem que a origem do mesmo foi alimentar, sendo o consumo de suco de açaí, provavelmente contaminado com oocistos do parasito, a fonte de contaminação.

Publicado
2020-05-05
Seção
Artigo Original