Atividade antimicrobiana de fungos liquenizados ocorrentes no campus Belém da Universidade Federal do Pará, estado do Pará, Brasil

  • Victor Hugo de Carvalho Vieira Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, Pará, Brasil
  • Antônia Benedita Rodrigues Vieira Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, Pará, Brasil
  • Wandson Braamcamp de Souza Pinheiro Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Exatas e Naturais, Belém, Pará, Brasil
  • Solange do Perpétuo Socorro Evangelista Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, Pará, Brasil
  • Rosildo dos Santos Paiva Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, Pará, Brasil
  • Sheyla Mara de Almeida Ribeiro Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, Pará, Brasil
Palavras-chave: Parmotrema sp., Leptogium sp., Liquens, Ação Antimicrobiana

Resumo

RESUMO

OBJETIVO:

Avaliar a atividade antimicrobiana de extratos obtidos a partir de fungos liquenizados ocorrentes no campus Belém da Universidade Federal do Pará, Brasil.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Amostras liquênicas de Leptogium sp. e Parmotrema sp. foram submetidas à extração orgânica por esgotamento a frio, seguindo a série eluotrópica clorofórmio e acetona. Os extratos obtidos foram testados frente a cepas de bactérias Gram-positivas, Gram-negativas e álcool-ácido resistentes, fungos filamentosos e leveduras, empregando-se o método de disco difusão em ágar. Discos de papel foram impregnados com 20 µL de cada extrato na concentração de 4 mg/mL e depositados sobre o meio previamente inoculado com os microrganismos teste. Os resultados foram avaliados pelo diâmetro dos halos de inibição em torno dos discos. Em seguida, os extratos foram submetidos à cromatografia ascendente em camada delgada e a ensaios bioautográficos para detecção dos princípios ativos.

RESULTADOS:

Houve maior potencial antimicrobiano dos extratos de Parmotrema sp. com halos de inibição que variaram de 8 a 12 mm para bactérias e de 8 a 21 mm para fungos. As bactérias Escherichia coliKlebsiella pneumoniae e Mycobacterium phlei apresentaram maior sensibilidade, pois foram inibidas pelas duas espécies liquênicas. Em relação aos fungos, os mais sensíveis foram Trichophyton tonsuransMicrosporum gypseum e Epidermophyton floccosum.

CONCLUSÃO:

Este trabalho ampliou o conhecimento sobre fungos liquenizados da Região Amazônica e possibilitou a obtenção de substâncias antimicrobianas viáveis para a inibição do crescimento de bactérias e fungos de importância médica.

Palavras-chave: Parmotrema sp.; Leptogium sp.; Liquens; Ação Antimicrobiana

Publicado
2019-09-05
Seção
Artigo Original