Pesquisa entomológica das espécies de triatomíneos encontradas na zona rural do município de Caruaru, estado de Pernambuco, Brasil, de 2011 a 2012

  • Aline Danielle Santa Cruz de Farias Universidade de Pernambuco, Faculdade de Enfermagem, Recife, Pernambuco, Brasil http://orcid.org/0000-0001-6185-8826
  • Zaíra Figueiredo Alves Universidade de Pernambuco, Faculdade de Enfermagem, Recife, Pernambuco, Brasil. Laboratório Central de Saúde Pública "Dr. Milton Bezerra Sobral", Pernambuco, Brasil http://orcid.org/0000-0002-0575-6005
  • Maria Beatriz Araújo Silva Universidade de Pernambuco, Faculdade de Enfermagem, Recife, Pernambuco, Brasil. Laboratório Central de Saúde Pública "Dr. Milton Bezerra Sobral", Pernambuco, Brasil http://orcid.org/0000-0002-5730-5425
  • Carolina Branco Dale Coutinho Instituto Oswaldo Cruz, Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil http://orcid.org/0000-0002-9526-9242
  • Dayse da Silva Rocha Instituto Oswaldo Cruz, Laboratório Nacional e Internacional de Referência em Taxonomia de Triatomíneos, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil http://orcid.org/0000-0001-5633-9001
Palavras-chave: Doença de Chagas, Vetores, Triatominae

Resumo

RESUMO

OBJETIVO:

Descrever a presença de triatomíneos na área rural do município de Caruaru, estado de Pernambuco, Brasil, durante os anos de 2011 e 2012, apontando áreas de risco para a doença de Chagas, com base nos registros das principais espécies de triatomíneos.

MATERIAIS E MÉTODOS:

Os dados sobre os triatomíneos, obtidos no banco de dados do Departamento de Controle de Vetores de Caruaru, foram: número de residências, presença de anexos nas casas, número de habitantes, tipo de moradia, presença de exemplares de triatomíneos, espécies identificadas e localização das moradias.

RESULTADOS:

Do total de 888 casas estudadas, 85,4% (758) eram construções de alvenaria com reboco, todas cobertas com teto de telhas, a maioria (34,1%; 303) tinha apenas um anexo e eram habitadas por 2.236 pessoas. Nas 75 (8,4%) casas onde foram encontrados triatomíneos (41 com anexos e 34 sem anexos), distribuídas em 32 localidades da zona rural de Caruaru, havia 211 (9,4%) habitantes. As espécies mais comuns encontradas nas residências foram Triatoma brasiliensis (26,8%), Panstrongylus lutzi (26,8%) e Triatoma pseudomaculata (12,2%).

CONCLUSÃO:

A alteração na distribuição das espécies, na área de estudo, demonstrou a adaptabilidade desses vetores à ação antrópica, reforçando a necessidade da elaboração de políticas educativas e do monitoramento constante nas áreas afetadas, visando à interrupção do ciclo de transmissão do Trypanosoma cruzi.

Publicado
2019-06-20
Seção
Artigo Original